Home - Sobre - Newsletter - Contato - Anuncie - Comprar Fotos

www.belapauliceia.com.br - Tudo sobre São Paulo 

SP Economia Mundial Paulicéia Artes Ciência e Cultura Gastronomia Arquitetura

Busca:

  SP Economia Mundial

  Paulicéia

  Artes Ciências Cultura

  Gastronomia

  Arquitetura



 



  Institucional
  Fale Conosco
  Clima Tempo
  CET

Publicidade

S.C.CORINTHIANS PAULISTA - 100 Anos de história
Uma agremiação esportiva impar - não é querido por ganhar títulos difíceis, mas por sua torcida ser a mais diferenciada do mundo
 

CORINTHIANS – 100 ANOS DE HISTÓRIA

 

http://www.corinthians.com.br/portal/capa/

http://www.jogandopelomeioambiente.com.br/projeto/meioambiente.asp

 

História
Como tudo começou...

Era 1º de setembro de 1910 e cinco operários - Joaquim Ambrósio, Carlos da Silva, Rafael Perrone, Antônio Pereira e Anselmo Correia - se reuniram com mais oito rapazes e fundaram o "Sport Club Corinthians Paulista" após assistirem a uma partida de uma equipe de futebol da Inglaterra. O presidente escolhido por eles foi o alfaiate Miguel Battaglia, que já no primeiro momento afirmou: "o Corinthians vai ser o time do povo e o povo é quem vai fazer o time".

Da primeira coleta à compra da primeira bola de futebol do clube pouco tempo passou. Na verdade, apenas uma semana. Um terreno alugado na Rua José Paulino, no bairro do Bom Retiro, foi aplainado e virou campo e foi lá que, já no dia 14 de setembro, o primeiro treino foi realizado diante de uma platéia entusiasmada que garantiu: "este veio para ficar".

De partida em partida o time foi se tornando famoso, mas era ainda um time de várzea. No ano de 1913, o Corinthians pleiteou uma vaga junto à Liga Paulista de Futebol e foi aceito, tornando-se assim o quarto dos chamados "três mosqueteiros" (os outros foram, o Americano, o Germânia e o Internacional), daí a origem do mascote corinthiano.

Grandes craques passaram pelo Corinthians em sua história centenária. Nomes como Neco, Joane, Del Debbio, Domingos da Guia, Teleco, Cabeção, Brandão, Luizinho, Cláudio, Baltazar, Gilmar, Idário, Goiano, Rivelino, Sócrates, Biro-Biro, Ronaldo, Neto, Marcelinho Carioca, Dida, Gamarra, Rincón, Vampeta, Tevez, entre outros, são lembrados até hoje e tidos com muito carinho pela Fiel Torcida.

Número de torcedores

De acordo com uma série de Institutos de pesquisas, como Ibope e Datafolha, além da Revista Placar, o Timão possui a segunda maior torcida do Brasil com cerca de 25 milhões de torcedores espalhados pelo país - somente atrás nacionalmente do carioca Flamengo.[27][28] Quase 15 milhões de seus torcedores estão concentrados no Estado de São Paulo, onde o time do Parque São Jorge supera o número de torcedores somados de São Paulo e Palmeiras - os seus dois maiores rivais.[30]

Outros 10 milhões de "fiéis" estão espalhados pelo resto do Brasil. Os corintianos lideram na região Sudeste do Brasil.[124] Em Minas Gerais, o "Timão" tem mais de um milhão de torcedores e é a quarta maior torcida nesse Estado - atrás somente de Cruzeiro, Atlético-MG e Flamengo.[17] No Sul do país, os corintianos só ficam atrás das torcidas de Grêmio e Internacional.[125] Só no Paraná, estado no qual o Corinthians é o time mais popular, são mais de 1,8 milhões de alvinegros.[126][127]

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sport_Club_Corinthians_Paulista

 

Torcedores

 

A torcida do Corinthians é chamada carinhosamente de "Fiel". Um dos momentos mais marcantes protagonizados por seus torcedores ocorreu em 1976, na semifinal do Campeonato Brasileiro daquele ano, quando dezenas de milhares de corintianos, 70 a 80.000 mil pelo cálculo da imprensa e da polícia, foram ao Rio de Janeiro para assistir ao jogo no Estádio do Maracanã. O acontecimento ficou registrado na história como a "Invasão Corintiana".[119] Este também foi o maior público registrado em uma partida envolvendo o alvinegro no maior estádio do Brasil.[120]

 

O maior público do Estádio do Morumbi foi registrado em uma partida do Corinthians. Foi no dia 9 de outubro de 1977, onde pouco mais de 146 mil pessoas assistiram ao jogo entre Corinthians e Ponte Preta, a segunda partida das finais do Campeonato Paulista daquele ano.[121] Pelo Campeonato Brasileiro, o maior público no estádio também é corintiano e a marca foi estabelecida em 6 de maio de 1984, no duelo entre Corinthians e Flamengo, válido pelas quartas-de-final da competição.[122]

No Pacaembu, o Corinthians reina soberano com nove dos dez maiores públicos da história do estádio.[123] O recorde de público no Pacaembu foi o clássico entre Corinthians e São Paulo, em 1942, que teve mais de 70 mil espectadores.[109]

 

Torcidas uniformizadas

Torcida uniformizada estende bandeirão em estádio.

O Corinthians tem como principais torcidas organizadas a Gaviões da Fiel, a Camisa 12, a Pavilhão 9 e a Estopim da Fiel.

 

Fundada em 1969, a Gaviões da Fiel é a maior delas e possui mais de 90 mil sócios.[133] Gaviões e Camisa 12 têm rivalidade história, pois a segunda nasceu de uma divisão entre diretores da primeira, dois anos depois da fundação da Gaviões.[134] Hoje, existe uma divisão por razões políticas dentro da própria Gaviões da Fiel.

 

Em jogos do clube como mandante, as quatro maiores torcidas corintianas cantam geralmente suas próprias músicas. Mais numerosa organizada, as letras cantadas pelos integrantes da Gaviões da Fiel sobressaem-se sobre as demais torcidas uniformizadas corintianas e constumam ser acompanhadas pelos outros torcedores, normalmente não-vinculados a qualquer facção, espalhados pelo estádio.[134]

 

Rivalidades

Derby Paulista

Corinthians e Palmeiras (antigo Palestra Itália) mantêm uma das mais antigas rivalidades do futebol brasileiro.[115] O clássico entre os clubes é conhecido como "Derby Paulista". O termo foi criado pelo jornalista Thomaz Mazzoni, de A Gazeta Esportiva, por ser um jogo difícil de apontar o vencedor, como eram as corridas de cavalo disputadas em Epsom (no Reino Unido), chamada de "Derby". O primeiro confronto entre Palestra Itália (o nome Sociedade Esportiva Palmeiras só foi adotado em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial) e Corinthians, aconteceu 6 de maio de 1917, houve vitória palestrina por 3 a 0. Já a primeira vitória do Corinthians aconteceu na sexta partida entre os dois times, disputada em 3 de maio de 1919.

Majestoso

Outra grande rivalidade no futebol paulista é o clássico entre Corinthians e São Paulo Futebol Clube. O duelo é conhecido como "Majestoso", alcunha também dada pelo jornalista Thomaz Mazzoni. O primeiro jogo entre as duas equipes (na época, os são-paulinos eram o São Paulo da Floresta) ocorreu no Estádio Alfredo Schürig (Fazendinha), em 25 de maio de 1930, e acabou vencido pelos corintianos pelo placar de 2 a 1. Como São Paulo Futebol Clube, a primeira partida ocorreu em 1936, também na Fazendinha e com nova vitória corintiana, desta vez por 3 a 1 (três gols de Teleco). Contra o São Paulo, o Corinthians decidiu vários estaduais, além da final do Campeonato Brasileiro de 1990 e o Torneio Rio-São Paulo de 2002.

Clássico Alvinegro

O clássico mais antigo do futebol paulista é o jogo entre Corinthians e Santos, chamado de "Clássico Alvinegro" em referência às cores dos dois clubes. O primeiro duelo entre as equipes aconteceu em 22 de junho de 1913, no Parque São Jorge (que à época não pertencia aos corintianos, e acabou em 6 a 3 para o time do litoral. A primeira vitória corintiana veio no quarto confronto, em 26 de agosto de 1917, por 3 a 0, no Estádio da Vila Belmiro. Em decisões de campeonato, os dois alvinegros mediram forças algumas vezes pelo Campeonato Paulista e uma vez pelo Campeonato Brasileiro, de 2002.

 

 

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sport_Club_Corinthians_Paulista

Títulos no futebol

Presidente Lula recepciona a equipe do Corinthians, campeã da Copa do Brasil de 2009.

Mundiais

(2000 )

Nacionais

(1990, 1998, 1999 e 2005)

(1995 , 2002 e 2009)

(1991 )

(2008)

Interestaduais

(1950, 1953, 1954, 1966 e 2002)

Estaduais

(1914 , 1916 , 1922, 1923, 1924, 1928, 1929 , 1930, 1937, 1938 , 1939, 1941, 1951, 1952, 1954, 1977, 1979, 1982, 1983, 1988, 1995, 1997, 1999, 2001, 2003 e 2009 )

Campeão Invicto

 

O Corinthians na cultura popular

Longametragem "Fiel" nas prateleiras da loja "Poderoso Timão".

A importância do Corinthians faz-se presente também em registros culturais no cinema, na música e na literatura.

No cinema, Amácio Mazzaropi homenageou o fiel torcedor com o filme "O Corintiano", de 1966. No século XXI, houve lançamento de documentários importantes sobre o clube. Em 2009 foram lançados "Fiel", documentário que retrata a queda e a ascensão do clube, da Série B para a Série A do Campeonato Brasileiro, sob a ótica de seus torcedores,[139][140] e "23 anos em 7 segundos – O fim do jejum corinthiano", documentário que reconstrói o fim dos 23 anos de jejum de títulos importantes do alvinegro.[141][142] Em 2010, ano do centenário do clube, foi lançado "Todo Poderoso: o Filme — 100 Anos de Timão", um documentário com farto material sobre a história do Corinthians.[143][144]

Há dezenas de canções que homenageiam o Corinthians.

 

  • Há ainda uma série de livros sobre o clube, entre os quais, "Corinthians: É Preto no Branco" (de Washington Olivetto e Nirlando Beirão),[145] "Corinthians: Paixão e Glória" (de Juca Kfouri, "Corinthians - 100 Anos de Paixão" (de Marco Piovan e Newton Cesar), "Corinthians : o Time da Fiel" (de Orlando Duarte e João Bosco Tureta), "Timão 100 Anos" e "Os Dez Mais do Corinthians" (ambos de Celso Unzelte). ARNS, Paulo Evaristo - Corintianoo Graças a Deus. Editora Planeta do Brasil.
  • LALAU - FIEL - 100 anos. Editora Panda Books.
  • ZIRALDO - Todo-Poderoso Timão em quadrinhos. Editora Globo.
  • GROISMAN, Serginho - Meu Pequeno Corintiano. Editora Belas-LetrasDIAFERIA, Lourenço - Grandes clubes do futebol brasileiro e seus ídolos. Coração corintiano. Fundação Nestlé de Cultura.

 

 

Outras modalidades esportivas

Ver artigo principal: Anexo:Títulos do Sport Club Corinthians Paulista

Além do futebol, o Corinthians possuiu ao longo de sua história equipes em várias modalidades desportivas. O primeiro título da história do clube não veio do futebol, mas sim do pedestrianismo. Batista Boni, João Collina e André Lepre venceram o troféu Unione Vigiatore Italiani (União dos Viajantes Italianos), oferecida pela colônia italiana no Brasil, em uma corrida de revezamento de dez quilômetros no Palestra Itália. A competição foi vencida pela equipe formada pelos corintianos Batista Boni, João Collina e André Lepre.[146]

 

A Bandeira do Estado de São Paulo, está presente no atual escudo Corinthiano.

A compra do terreno no Parque São Jorge fez com que o clube se aproximasse do Rio Tietê. Assim, em 1933, o remo foi incorporado entre as modalidades esportivas do clube. Desse esporte surgiram a âncora e os remos que estão até hoje no escudo oficial do clube.[23]

Em uma época em que o futebol amargava um jejum de títulos importantes, a natação alcançava a maior quantidade de conquistas: três conquistas do Troféu Brasil de Natação (1964, 1965 e 1966) e o hexacampeonato estadual na mesma década de 1960; no basquete, três títulos nacionais, em 1965, 1966 e 1969 e duas conquistas do Sul-Americano de Clubes Campeões de Basquete (1964 e 1969), em uma época em que esse era o principal campeonato entre clubes da América do Sul, além de um vice-campeonato no primeiro Campeonato Mundial Interclubes de Basquete; no Futsal, outro título nacional: a Taça Brasil de Futsal em 1974; no Handebol, vitórias tanto no feminino (três estaduais, em 1972, 1976 e 1977) como no masculino (dois estaduais, em 1975 e 1976). Finalmente, o remo alcançou três conquistas do Troféu Bandeirantes, maior galardão do remo paulista.

 

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sport_Club_Corinthians_Paulista

 

 

Como o Timão joga pelo Meio Ambiente

·         O Projeto

Saiba como o Corinthians está ajudando o meio ambiente

 

Para se combater o aquecimento global é preciso mais do que discurso. É preciso ação. É este o compromisso do Corinthians e do Banco Cruzeiro do Sul. O projeto prevê ações eficazes contra o aquecimento global em duas direções:

  • - Compensação e redução de gases do efeito estufa
  • - Educação socioambiental
  • 1. Redução e compensação  de GEE:

O mundo inteiro está mobilizado para diminuir as emissões de gases do efeito estufa.  Esta redução se dá por intermédio de práticas ambientais mais limpas, como a coleta de lixo seletiva, o  uso de materiais reciclados, a diminuição dos gastos com energia, com transporte, etc.   O Corinthians e o Banco Cruzeiro do Sul estão participando de oficinas e workshops para conhecer este assunto e adotar estas práticas. Já a compensação se dá com o plantio de árvores que seqüestram o gás carbônico da atmosfera.  O Banco Cruzeiro do Sul se compromete a plantar 100 árvores para cada jogo e mais 100 a cada gol do Timão.

“Estamos implantando o projeto Jogando pelo Meio Ambiente para que haja uma sensibilização de todos para a questão ambiental. Nosso objetivo é promover uma conscientização sobre a causa do meio ambiente. A preocupação neste momento é com as futuras gerações”

Luis Octavio Índio da Costa
Diretor superintendente do Banco Cruzeiro do Sul.

 

Onde e como será o plantio?
Baseado nos jogos e nos gols que o Timão fez em 2009, o Banco Cruzeiro do Sul estimou uma média de 21 mil árvores a serem plantadas diante dos resultados de 2010.

 

Quais espécies serão plantadas?
Para que o plantio siga os padrões técnicos e garanta uma floresta sustentável, é preciso que existam pelo menos 100 espécies nativas, como Ipê roxo, amarelo, Jatobá, entre outros. O Banco Cruzeiro do Sul se compromete a cuidar das mudas durante 2 anos, até que elas fiquem fortes para seguir em frente sozinhas.

 

 

 
Clique aqui para mais matérias sobre Paulicéia.

 

 





Copyright - Todos direitos reservados a Bella Paulicéia.