Home - Sobre - Newsletter - Contato - Anuncie - Comprar Fotos

www.belapauliceia.com.br - Tudo sobre São Paulo 

SP Economia Mundial Paulicéia Artes Ciência e Cultura Gastronomia Arquitetura

Busca:

  SP Economia Mundial

  Paulicéia

  Artes Ciências Cultura

  Gastronomia

  Arquitetura



 



  Institucional
  Fale Conosco
  Clima Tempo
  CET

Publicidade

6º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo
 

*** 6º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo

 

*** agenda extra projeção ***

 

 

 

11/07 (segunda-feira)

 

*** Memorial da América Latina

 

9h00 – abertura do 2° Encontro da Rede de Cines Itinerantes da América Latina

 

20h30 – cerimônia de abertura do festival

 

12/07 (terça-feira)

 

*** Cinemateca Brasileira

 

19h00 – Diálogos BrLab - 1

conversa entre os roteiristas Miguel Machalski (França/argentina) e Fernando Bonassi (Brasil)

 

21h00 – Diálogos BrLab - 2

conversa entre Maria Dora Mourão (Brasil, diretora acadêmica do BrLab) e a produtora Lita Stantic (Argentina)

 

*** Memorial da América Latina

 

21h00 – exibição de “Afinidades” (Cuba), de Jorge Perugorria e Vladimir Cruz, com presença do último

 

 

13/07 (quarta-feira)

 

*** Cinemateca Brasileira

 

19h00 – Diálogos BrLab - 3

conversa entre os roteiristas Jorge Durán (Chile/Brasil) e Jean-Claude Bernardet (Brasil)

 

21h00 – Diálogos BrLab - 4

conversa entre os produtores Gustavo Montiel (México) e Clélia Bessa (Brasil)

 

 

*** Memoriasl da América Latina

 

20h00 – exibição de “Assalto ao Cinema” (México), de Iria Gomez Concheiro, com presença da diretora

 

20h00 – lançamento oficial da Rede de Cines Itinerantes da América Latina, com projeção ao ar livre de filmes

 

14/07 (quinta-feira)

 

*** Memorial da América Latina

 

19h00 – lançamento de livro

“Roteiro Cinematográfico: Uma Viagem Imprevisível”, de Miguel Machalski

(TZ Editora, 122 páginas, R$ 55,00 / preço promocional no lançamento: R$ 49,50)

 

19h30 – debate “Televisão Brasilera: Desafios Criativos”

Regina Gambini, gerente adjunta do SescTV

Renato Nery, gerente de coprodução e políticas publicas da TVCultura

Rogério Brandão, gerente de programação da TV Brasil

Vanessa Cardim, gerente de produção e ativos do Canal Futura

mediação: Malu Viana Batista, diretora executiva da TAL – Televisión América Latina

 

21h30 – exibição do filme “Somos 1 Só”, de Ana Dip & Toni Venturi, Kiko Mollica, Lina Chamie, Kátia Klock, Lírio Ferreira, Gilberto Scarpa, Dainara Toffoli e Evaldo Mocarzel, com presença dos diretores do filme, do Sesc São Paulo e do SescTV

 

 

*** Cinusp “Paulo Emílio”

 

19h00 – exibição de “Os Residentes”, de Tiago Mata Machado, seguida de debate com o diretor

 

 

*** Espaço Unibanco de Cinema

 

21h00 – lançamento do filme “Solidão e Fé”, de Tatiana Lohmann

 

 

*** restaurante Dalva e Dito, Cozinha Brasileira

 

21h30 – jantar de confraternização

 

 

 

15/07 (sexta-feira)

 

*** Memorial da América Latina

 

9h00 – abertura do 2° Encontro de Film Comissions da América Latina

 

16h00 – debate "Cinemas Itinerantes, uma Alternativa à Questão da Distribuição e Exibição de Filmes na América Latina"

Cynthia Alario (“Brazucah”, Brasil)

Gonzalo Lamela (“Medio & Medio”, Uruguai)

Laís Bodanzky (“Cine Tela Brasil”, Brasil)

Viviana García e Griselda Moreno (“Cine a la Intemperie,” Argentina)

mediação: Antonio Claudino de Jesus (Brasil, presidente da Federação Internacional de Cineclubes)

 

19h30 - Conversa Entre Diretores

Alejandro Pereyra (“Ver-Se”, Bolívia)

Iria Gómez Concheiro (“Assalto ao Cinema”, México)

Jeferson De (“Bróder”, Brasil)

mediação: José Carlos Avellar (crítico, Brasil)

 

 

*** Cinusp “Paulo Emílio”

 

19h00 – exibição de “A Viúva de Montiel”, de Miguel Littín, seguida de debate com o diretor

 

 

 

16/07 (sábado)

 

 

*** Bar Canto da Vila

 

12h30 – feijoada de confraternização

 

*** Memorial da América Latina

 

16h00 - Aula Magna

Orlando Senna (diretor e roteirista, homenageado brasileiro do festival)

 

19h30 – debate “Gabriel García Márquez e o Cinema Latino-Americano”

Eric Nepomuceno (jornalista e tradutor, Brasil)

Miguel Littín (cineasta, Chile)

Ruy Guerra (cineasta, Brasil)

mediação: José Carlos Avellar (crítico, Brasil)

 

 

*** Cinesesc

 

17h00 – exibição de “Mundo Grua”, de Pablo Trapero, apresentada pelo diretor

 

 

*** Espaço Unibanco de Cinema

 

21h00 – lançamento do filme “Viva Marajó”, de Regina Jehá

 

 

 

17/07 (domingo)

 

*** Memorial da América Latina

 

19h00 – cerimônia de Encerramento

 

 

 

*** Contemporâneos

 

A seção Contemporâneos do Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo é dedicada a títulos recentes, estando reunidos nesta edição 26 filmes representando 14 países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, Guatemala, México, Paraguai, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai e Venezuela. Todos os integrantes da seção concorrendo ao prêmios do público e da crítica - este formado pelos jornalistas Alessandro Giannini, Celso Sabadin e Rafael Ciccarini. A maioria das obras é inédita no Brasil.

 

É caso de “Post Mortem” (Chile, 2010), uma visão subjetiva da ditadura de Pinochet através de um personagem que trabalha em um necrotério. Dirigida por Pablo Larraín (do premiado “Tony Manero”), a obra traz imagens impactantes do corpo do presidente deposto Salvador Allende. Eleito melhor filme no Festival Cartagena, esteve nas seleções dos festivais de Veneza, San Sebastian e Nova York.

 

Diretor de curtas-metragens de grande sucesso e conhecido por tornar a cidade de Buenos Aires personagem importante de suas narrativas, o argentino Gustavo Taretto tem sua estréia no longa-metragem com “Medianeras”. Premiado pelo público do Festival de Berlim 2011 e inédito no Brasil, o filme utiliza uma linguagem moderna para falar de dois jovens que vivem em apartamentos um de frente para o outro, mas nunca conseguem se encontrar.

 

Outro chileno inédito, “Gatos Velhos” traz a assinatura da dupla Sebastián Silva e Pedro Peirano, respectivamente diretor e roteirista de “La Nana”, longa indicado ao Globo de Ouro em 2010 e que rendeu à conhecida atriz daquele país Catalina Saavedra uma dezena de premiações. Nesse novo trabalho, Saavedra está de volta, agora interpretando uma mulher cuja mente está rapidamente se deteriorando. Ela tenta esconder esse estado de sua filha, que apenas espera um sinal de senilidade da mãe para tomar-lhe tudo.

 

Os atores Jorge Perugorría e Vladimir Cruz, do sucesso “Morango e Chocolate” (incluído em Soy Loca Por Ti, América!, nova seção do festival), assinam a direção do cubano “Afinidades” (2010), sobre a relação de quatro personagens numa viagem a um lago. Uma metáfora sobre o amor e a liberdade baseada no livro cubano “Música de Câmara”, de Reinaldo Montero, a produção é inédita no Brasil.

 

Vencedor dos festivais de Havana e Cartagena, e com vocação para cult movie, o inédito “A Vida Útil” (Uruguai/Espanha, 2010), de Federico Veiroj (do longa “Acne”, selecionado para Cannes), é passado na importante Cinemateca Uruguaia e foi filmado em preto e branco, ao estilo da Nouvelle Vague francesa. Trata-se de uma delicada história de amor protagonizado pelo conhecido crítico cinematográfico Jorge Jellinek.

 

Igualmente inédito no Brasil, 18 Cigarros e Meio” (de Marcelo Tolces) é um surpreendente longa paraguaio que acompanha um jovem em pequenos fragmentos de sua vida, nos momentos que se passam entre o acender e o apagar de um cigarro.

 

O drama familiar de produção mexicana, “O Prêmio” e teve première mundial no Festival de Berlim 2011, onde recebeu um Urso de Prata de melhor contribuição artística por sua fotografia. Inédito no Brasil e passado durante os anos da ditadura militar na Argentina, quando uma garota de sete anos e sua mãe vivem escondidas, marca a estréia da realizadora de origem argentina Paula Markovitch.

 

De Porto Rico vem “América”, dirigido pela ativa documentarista Sonia Fritz, outro inédito da programação. A narrativa acompanha uma moradora em fuga para Nova York; lá terá que enfrentar seu terror para proteger seu sonho.

 

Representante da Bolívia, o inédito “Ver-Se”, de Alejandro Pereyra, focaliza uma enfermeira divorciada que, após a partida de seu filho, único parente próximo, precisa enfrentar o destruidor ritmo de sua rotina. No dia 15 de julho (sexta-feira), às 19h30, no Memorial da América Latina, o diretor Pereyra participa do Encontro Entre Cineastas, que reúne também os cineastas Jeferson De (Brasil), de “Bróder”, e Iria Gómez Concheiro (México), de “Assalto ao Cinema”.

 

“A Viagem de Lúcia”, de Stefano Pasetto, é uma coprodução entre a Argentina e a Itália inédita no Brasil. Suas protagonistas são duas mulheres frustradas que decidem se juntar e encontrar novas formas de viver. Aclamado por sua poesia visual, seu roteiro impactante e sua apurada fotografia, o longa teve boa receptividade no Festival de Toronto e em outros eventos internacionais.

 

Já o mexicano “Assalto ao Cinema”, selecionado para o Festival de Sundance e inédito em São Paulo, marca estréia da premiada curta-metragista Iria Gómez Concheiro. A produção conta a história de quatro amigos adolescentes moradores em uma unidade habitacional que, em maio a grafites e raps, planejam assaltar um sala de cinema.

 

Vencedor no Festival de Sundance 2011 do prêmio de melhor fotografia, a produção colombiana “Todos os Seus Mortos”, de Carlos Moreno (do impactante “Perro Come Perro”), mostra um camponês humilde que encontra vários cadáveres empilhados no meio de sua plantação de milho; as autoridades, no entanto, não querem um escândalo em pleno rebuliço eleitoral. Logo ele percebe que os mortos são um problema com o qual ninguém quer lidar. O filme é inédito em São Paulo.

 

Sucesso em festivais de cinema fantástico, como o AFFF, de Amsterdã, “Chá de Bebê”, do chileno Pablo Illanes (criador de diversas telenovelas famosas no Chile), focaliza quatro ex-colegas se reúnem para comemorar a gravidez de uma delas. A revelação de um segredo obscuro e uma série de mortes violentas transformam o chá de bebê em um pesadelo. A obra também é inédita em São Paulo.

 

Estréia do mexicano Marcelino Islas Hernández, “Martha” teve première mundial no Festival de Veneza. Inédita em São Paulo, a obra acompanha uma arquivista que, após 30 anos trabalhando numa companhia de seguros na Cidade do México, é demitida. Com a ajuda de uma jovem recém-contratada, ela verá sua jornada em direção à morte levá-la à vida.

 

“Verão de Goliat”, um coprodução do México com Canadá e Holanda dirigida por Nicolás Pereda e inédita em São Paulo, lança mão de uma narrativa inventiva, mesclando ficção e documentário, para acompanhar uma mulher abalada pela repentina morte de seu marido que embarca numa missão para descobrir o que aconteceu.

 

Vencedor do prêmio do júri da mostra Um Certo Olhar, no Festival de Cannes, “Outubro” focaliza um homem tímido que descobre na porta de sua casa um bebê recém-nascido, fruto de sua relação com uma prostituta que desapareceu. Enquanto ele procura pela mãe da criança, uma vizinha solteira, que o vê como a única esperança de sair da solidão, toma da criança. Estréia na direção da dupla Daniel Veja e Diego Veja, o filme é uma coprodução Peru/ Venezuela /Espanha.

 

Dirigido pelo casal Laura Amelia Guzmán e Israel Cárdenas, “Jean Gentil” vem da República Dominicana (em coprodução com México e Alemanha) e acompanha um professor haitiano à procura emprego em uma cidade dominicana em desenvolvimento; sem encontrar nenhum trabalho digno de seus conhecimentos, parte para o litoral da ilha munido de sua fé e de suas crenças.

 

Uma produção da Guatemala, em coprodução com França e México, “As Marimbas do Inferno” focaliza um músico que, após ser vítima de extorsão e de perder seu trabalho, decide fundir marimba com heavy metal. O filme venceu o festival de Miami, conquistou o Grande Prêmio Flechazo de Toulouse e mereceu uma menção especial no BAFICI 2011. A direção é de Julio Hernandez Cordon, de “Gasolina”, obra vencedora do Festival de San Sebastian.

 

 

*** Contemporâneos - Brasileiros

 

Paulo Cezar Saraceni, um dos mais importantes nomes Cinema Novo brasileiro, sem lançar uma ficção desde 1999 (com "O Viajante"), retorna com “O Gerente”, obra inédita em São Paulo baseada no conto homônimo de Carlos Drummond de Andrade que narra os casos de um gerente de banco que escandaliza a sociedade dos anos 1950 com seu fetiche de morder os dedos mínimos das mulheres. O cineasta reuniu um elenco de peso: Ney Matogrosso, Ana Maria Nascimento e Silva, Joana Fomm, Othon Bastos, Roberto Bomfim, Paulo César Peréio, Letícia Spiller, Simone Spoladore e Nelson Xavier. Na trilha sonora, destaque para a participação de João Gilberto, que fez novas interpretações para "Louco" (Wilson Batista/Henrique de Almeida) e "Insensatez" (Tom Jobim/Vinicius de Moraes).  

 

Também inédito em São Paulo, “Mãe e Filha” marca a segunda direção do cearense Petrus Cariry (de “O Grão”, recebido com mais de 30 premiações) e foi o grande vencedor do recente Cine Ceará, onde conquistou o prêmio de melhor filme pelo júri oficial e pela crítica – esta última chegou a afirmar que a obra coloca o universo sertanejo em diálogo com a escola russa de Tarkovski, Paradjanov e Sokúrov. O enredo centra-se em um reencontro em meio a ruínas e lembranças.

 

Selecionado para o Festival de Berlim 2011, “Os Residentes”, do mineiro Tiago Mata Machado, conquistou ainda três prêmios no Festival de Brasília e, na Mostra de Tiradentes 2011, foi eleito melhor filme da Mostra Aurora e pelo júri da crítica. Seus personagens, instalados em uma espécie de autoexílio, um grupo de pessoas passam os dias entre pequenos complôs, farsas e delírios. O longa é inédito em São Paulo. O diretor Mata Machado debate com o público logo após a sessão agendada para o dia 14 de julho (quinta-feira), às 10h00, no Cinusp “Paulo Emílio”).

 

Outro contemplado em Tiradentes 2011, onde foi vencedor do prêmio do público, e igualmente inédito em telas paulistas, “Solidão e Fé” é dirigido por Tatiana Lohmann, que levou sua câmera paro o universo dos rodeios, em uma tentativa de decifrar o mundo masculino.

 

Estréia na direção de longas-metragens ficcionais do diretor Eryk Rocha, “Transeunte” recebeu no último Festival de Brasília os prêmios da crítica e de melhor ator e desenho sonoro. Inédito em São Paulo, o filme observa um senhor aposentado que perdeu os laços com a vida e caminha diariamente pelo centro da cidade do Rio de Janeiro.

 

“Desassossego” (Filme das Maravilhas)” é projeto experimental coordenado pela dupla Felipe Brangança, Marina Meliande (de “A Fuga da Mulher Gorila” e “A Alegria”). A obra encadeia dez diferentes fragmentos, filmados por 14 cineastas: Karim Aïnouz, Marco Dutra & Juliana Rojas, Helvécio Marins Jr. & Clarissa Campolina, Ivo Lopes Araújo, Caetano Gotardo, Gustavo Bragança, Carolina Durão & Andrea Capella, Raphael Mesquita & Leonardo Levis, além dos coordenadores.

 

 

 

 
Clique aqui para mais matérias sobre Arte Ciência e Cultura.

 

 





Copyright - Todos direitos reservados a Bella Paulicéia.