Home - Sobre - Newsletter - Contato - Anuncie - Comprar Fotos

www.belapauliceia.com.br - Tudo sobre São Paulo 

SP Economia Mundial Paulicéia Artes Ciência e Cultura Gastronomia Arquitetura

Busca:

  SP Economia Mundial

  Paulicéia

  Artes Ciências Cultura

  Gastronomia

  Arquitetura



 



  Institucional
  Fale Conosco
  Clima Tempo
  CET

Publicidade

" Edifício Conde de Prates " - um prédio moderno para 1955
Construído no lugar que havia um dos Palacetes comerciais do próprio Conde
 

            4 =   Edifício Conde de Prates

Edifício        = Conde de Prates

                           (locado no mesmo local que existia o Palacete Prates)

Endereço     = Rua Líbero Badaró esquina com Viaduto do Chá

Arquiteto     = Giancarlo Palanti

Projeto         = de 1952 

Construtora=  Alfredo Matias Ltda.

Locação        = Edifício para Escritórios

Pavimentos = 33 andares, com 3 pavimentos no nível do Vale do Anhangabaú

Altura           = 112 metros

Construção = início em 1952

Inauguração= em 1955

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.                                           

Edifício Conde de Prates visto a partir do Vale do Anhangabaú .

O Edifício Conde de Prates é um arranha-céu localizado entre o Vale do Anhangabaú, a Rua Líbero Badaró e o Viaduto do Chá, no centro da cidade de São Paulo, Brasil. Possui 112 metros de altura, 33 andares e sua construção foi concluida no ano de 1955. Foi projetado pelo arquiteto Giancarlo Palanti e suas obras foram executadas pela Construtora Alfredo Mathias Ltda.

O Edifício Conde de Prates encontra-se de frente para a Prefeitura de São Paulo, tendo sua entrada principal na Rua Líbero Badaró, além de outra pelo Vale do Anhangabaú.

História

Eduardo da Silva Prates, primeiro conde de Prates (São Paulo, 8 de novembro de 1860 - São Paulo, 22 de março de 1928) foi um negociante paulista, brasileiro, dedicado aos ramos imobiliário, bancário e férreo.

Devido ao casamento, recebeu como herança a Fazenda Santa Gertrudes, tendo-a dinamizado e aumentado a já grande produtividade dessas terras. Em 1893, com o falecimento do Marquês de Três Rios e da Marquesa nos anos seguinte, a fazenda foi herdada por Eduardo Prates casado com a irmã da Marquesa de Três Rios, pois aquela não deixará descendentes diretos. Apesar das alterações resultantes da mudança de proprietário em 1895 não houve quebra no ritmo ascendente da fazenda.

Eduardo Prates acelerou ainda mais. Tornou-se proprietário da fazenda num período excepcionalmente favorável à expansão do café. Eduardo Prates era ativo homem de negócios, o capitalista de São Paulo, e, em 1895 se viu fazendeiro de café, proprietário da Fazenda Santa Gertrudes, considerada uma das mais importantes cafeeiras.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 

 

                                                                                                           Edif.C.Prates , visto do Viaduto do Chá

 O Palacete da direita também era do Conde de Prates e sediava o Automóvel Clube de São Paulo              

Durante muitos anos, o Automóvel Clube esteve sediado num dos 2 palacetes do Sr. Eduardo Prates, aquele encostado ao Viaduto do Chá, e que só foi demolido na década de 50 passada, para dar lugar ao atual Edifício Conde Prates, na rua Líbero Badaró, junto ao Viaduto do Chá. Alguns passos abaixo, havia uma outra construção de idênticas características.

Os palacetes gêmeos foram construídos por Eduardo da Silva Prates, o Conde Prates, que possuía propriedades no Vale do Anhangabaú, com algumas pequenas casas dando frente para a rua Líbero Badaró. Na época, a rua passava por um processo de modernização, e os dois prédios representaram a colaboração de Silva Prates para as reformas.

Homem de muitas posses, ele não economizou dinheiro na empreitada. Trouxe da França, todo o material necessário a construção.
Em estilo francês, de estrutura de ferro, os prédios eram considerados infensos ao fogo. Construiu-os o engenheiro Samuel das Neves.
No primeiro dos prédios para quem subia a Líbero Badaró vindo da avenida São João em direção ao Viaduto do Chá (Líbero Badaró, 377) funcionou por muitos anos, e até 1951, a sede da Prefeitura Municipal de São Paulo. Dividia o espaço com a Câmara Municipal que, após sua saída, assumiu todo o prédio, batizando-o com o nome de Palacete Anchieta.

( texto editado pela Revista Maturidade – revistamaturidade@bol.com.br )

 

 
Clique aqui para mais matérias sobre Arquitetura.

 

 





Copyright - Todos direitos reservados a Bella Paulicéia.